Observações sobre tudo e sobre coisa nenhuma
9.1.11

Tenho por hábito espreitar a net para ver as notícias do dia. É rápido, não implica a compra de jornal nem o posterior desperdício de papel.

A possibilidade que a versão online da imprensa escrita e canais de tv oferece aos utilizadores/leitores é a de comentar a actualidade. E que tisteza verificar que como a liberdade e possibilidade de expresão são aproveitadas de forma tão, tão, vá,  simplória. É ver (ler) português muito mal tratado, muito mal escrito, é ofensas trocadas entre os comentadores, opiniões que não têm a ver com o assunto em causa, enfim, cabe lá tudo. Desde ontem, então, no que se relaciona com a violenta e trágica morte de Carlos Castro é preferível evitar ler o que por aí se comenta. Uma parte do que se escreve é de tão baixo nível, revelador de mesquinhez e preconceitos, de tão pouco respeito por uma vida humana que se perdeu - que até se desvaloriza - que revolta qualquer pessoa com um mínimo e sensibilidade e bom senso. Não sendo adepta da censura, penso que o baixo nível a que se chegou devia levar a pensar na criação de um moderador de comentários. Qualquer um escreve o lixo que quer, mas os outros não precisam de levar com isso.

 

sinto-me: indignada
link do postPor costela de adão, às 16:10  o que se disse (2) para dizerem algo

Pesquisar neste blog
 
mais sobre mim
Janeiro 2011
D
S
T
Q
Q
S
S

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
14
15

16
17
21
22

23
25
27
28
29

30
31


arquivos
links
A Passear no Paraíso