Observações sobre tudo e sobre coisa nenhuma
19.5.09

Ainda me lembro do entusiasmo que sentia quando era noite de Festival da Eurovisão. Na altura este era um grande evento televisivo e dada a pouca oferta, noite de festival era uma festaEntretanto, o festival foi perdendo o seu encanto, cresci e deixei de achar piada a esse tipo de programas. Até que no ano passado vi a emissão em directo - este ano voltei a ver. As diferenças em relação ao passado existem, afinal hoje há mais tecnologia e logo aí o espectáculo tem mais possibilidades de brilhar. No entanto, noto que o espírito com que eu via o festival tem sido atropelado. Isto, como sempre, é a minha opinião, que vale o que vale.

 

1. Por um lado, lembro-me que quando apresentavam o artista que ía actuar mostravam sempre um pouco da cidade/país onde decorria o evento. Isto, para além de apresentar o artista, funcionava também como um cartão postal, dando a conhecer alguns pontos de interesse daquele local. Do ponto de vista da promoção turística do país era algo importante.

2. Outro ponto - e sem querer parecer nacionalista ou extremista - é que antes cada um cantava na língua do seu país e agora já é possível apresentar as canções em inglês (até nós já o fizémos há uns anos com um mix luso-inglês). Ora, logo à partida, o inglês sendo a língua que mais se domina, "entra" mais facilmente no ouvido. Este ano até a Espanha - pasme-se - cantou em inglês!!

3. Sem querer parecer púdica ou moralista, algumas artistas apresentaram-se com pouca roupa (deve render mais votos). A senhora da Ucrânia tentou dar um espectáculo sensual mas aquilo roçou mais a vulgaridade do que outra coisa. Além disso, algumas das canções a concurso este ano pareciam música da feira; electro-pop martelada para consumo rápido que não deixam saudades. No entanto, é lamentável que a do Azerbeijão - que incluo nesta categoria - tenha ficado em 3º lugar. Deixou de haver interesse em colocar elementos mais tradicionais. A combinação do tradicional e moderno é possível, tanto que a nossa música era assim e era bastante engraçada.

 

A música à qual Portugal atribuiu o maior número de pontos terá muito a ver com o nosso gosto pessoal; também era a minha favorita, a da Moldávia. Tinha lá os elementos tradicionais, um toque de música dos balcãs - e por cá gostamos disso - e era bem animada. Ficou um lugar à nossa frente. Deixo aqui o vídeo para vossa avaliação. Eu gosto!

 

(se não gostarem não me dêem nenhum calduço como dão ao rapaz do anúncio das sopas)

 

link do postPor costela de adão, às 19:30  para dizerem algo

De perplex3r a 19 de Maio de 2009 às 22:51
Perdi há anos esta vontade de ver a Eurovisão! Aliás, isto agora parece mais eurovisão de outras zonas...foi-se perdendo a magia, penso eu!

De costela de adão a 20 de Maio de 2009 às 19:46
De certa forma há algo que se perde. Começa em nós próprios que a partir de uma certa altura deixámos de achar cool ver este tipo de programa/espectáculo televisivo. Mas agora, anos passados dessa fase de narigueta empinada típica da adolescência e anos seguintes, é curioso termos algum interesse em ver o Festival e acabarmos um bocado frustrados e saudosistas ao melhor estilo "antigamente é que era". Mas a verdade é que antigamente é que era mesmo! Obrigada pela visita.

De Marafadinha a 20 de Maio de 2009 às 07:54
Cara amiga,
eu também gostei muito desta. Não podia concordar mais com as tuas observações. E também fiquei pasmada com a Espanha, apesar do Inglês ficar assim mais para o refrão. Mas a musica também era das mais curiosas pois também continha aquela sonoridade própria de Espanha.
Ahhhhhhhh, os velhos tempos....

Pesquisar neste blog
 
mais sobre mim
Maio 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
15
16

17
20
23

24
25
26
28
29
30

31


arquivos
links
A Passear no Paraíso