Observações sobre tudo e sobre coisa nenhuma
28.8.08

Os Jogos Olímpicos de Pequim terminaram. Os nossos medalhados regressaram ontem e uma multidão esperava por eles. A participação portuguesa esteve envolta em polémica, não tanto pelos resultados – não se podia esperar que todos trouxessem uma medalha – mas pelas declarações menos felizes prestadas por alguns atletas. No entanto, pior do que os atletas acabou por estar o presidente do Comité Olímpico Português (COP), Vicente Moura. Perante os resultados menos positivos e as já mencionadas declarações dos atletas proferiu afirmações menos abonatórias em relação a estes e decidiu não se recandidatar ao cargo que ocupa há vários anos. O senhor estava descontente e já que não os podia despedir, despedia-se ele (por assim dizer). No rescaldo dos jogos e feitas as contas concluiu-se que esta havia sido a melhor participação portuguesa de sempre e entretanto o senhor Moura já veio dizer que afinal nada está definido e que até se pode recandidatar mais uma vez ao lugar de presidente do COP. Ou seja, deu o dito por não dito.  Deve ter pensado algo do género “Ah e tal, afinal a coisa não correu assim tão mal, por isso esqueçam lá qualquer coisa que possa ter dito. Estou aqui para o que fôr preciso!”. Que lindo! Talvez possa agora pegar nas críticas feitas a alguns atletas sobre a seriedade e educação e mais qualquer coisa e dizê-las novamente, mas desta vez com um espelho em frente. No desporto, tal como em tudo o resto, não basta ser sério, há que parecê-lo.

tags:
link do postPor costela de adão, às 23:49  para dizerem algo

Pesquisar neste blog
 
mais sobre mim
Agosto 2008
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
29
30

31


arquivos
links
A Passear no Paraíso