Observações sobre tudo e sobre coisa nenhuma
28.8.08

Pois é, uma das minhas bandas preferidas está de volta. Depois de dez anos separados os The Verve (daqui em diante vou chamá-los apenas Verve) estão de volta. Só tomei conhecimento da existência dos Verve  em 1997 quando editaram aquele que já era o seu 3º album “Urban Hymns” e que tem algumas das melhores músicas da década de 90. “Bittersweet Symphony”, “The Drugs Don’t Work” e “Lucky Man” são apenas alguns exemplos. A partir daqui quis conhecer mais do seu trabalho e tendo gostado bastante do que ouvi coloquei-os na minha lista de favoritos.

Os Verve nunca tiveram um percurso normal. Pouco depois de lançarem o 2º album, “A Northern Soul” em 1995, separaram-se devido a divergências internas: o clássico choque de egos entre o vocalista e alma da banda, Richard Ashcroft, e o guitarrista que dava o toque especial às composições, Nick McCabe. Em 1997 foi o regresso e a apoteose com o lançamento de “Urban Hymns”. Mas, mais uma vez, os problemas de antigamente voltaram e a banda saíu de cena. Durante o período de ausência Richard Ashcroft lançou 3 albuns a solo; todos com boas músicas, bons arranjos, boas letras. Mas por alguma razão o seu trabalho a solo, ainda que bom, nunca conseguiu alcançar o sucesso dos Verve.

Foi com entusiasmo que li a notícia do seu regresso. Dentro em breve conto ter o novo album, “Forth” e confirmar que a chama continua a arder. Pela audição de duas das novas músicas, estou certa que sim. Resta saber por quanto tempo vai durar este regresso; dizem que não há duas sem três mas esperemos que à terceira seja de vez!

 

tags:
link do postPor costela de adão, às 23:52  para dizerem algo

Pesquisar neste blog
 
mais sobre mim
Agosto 2008
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
29
30

31


arquivos
links
A Passear no Paraíso