Observações sobre tudo e sobre coisa nenhuma
14.12.09

Estava aqui a ver um episódio do Dr. House e um personagem - QI elevado, pensador brilhante - diz que ao conhecer a mulher com quem casou ela não se interessou se ele era inteligente ou não. E pela primeira vez na vida sentiu-se feliz; e preferiu ser feliz a ser inteligente. E como umas coisas levam a outras, isto levou-me a pensar naquelas pessoas que em nome de um sonho, desejo, um amor, deixam tudo sem olhar para trás. Não deixo de sentir admiração por elas. São corajosas; eu não sei se teria essa coragem, mas admiro quem a tem.

 

sinto-me: pensativa
música: No Regrets
link do postPor costela de adão, às 21:33  para dizerem algo

De S a 14 de Dezembro de 2009 às 23:21
Essas pessoas largam um sonho por outro sonho, eu fiz isso =)

De costela de adão a 16 de Dezembro de 2009 às 20:12
Parabéns. Nem sempre é fácil tomar essas decisões. Mas pelo sorriso =), creio que não estás arrependida da tua opção.

De S a 17 de Dezembro de 2009 às 00:14
Claro que não, eu sei que seria feliz tomasse qual das decisões fosse, simplesmente escolhi a que me fazia mais feliz e completa, mesmo sendo imensas pessoas de desacordo...

De costela de adão a 17 de Dezembro de 2009 às 02:23
Nem sempre se tem o acordo dos outros em relação a escolhas pessoais, mas elas são isso mesmo: pessoais. E pelos vistos, não foi uma má opção

De S a 17 de Dezembro de 2009 às 12:14
Para mim, foi uma boa escolha, sou feliz é o que me importa, é claro que não sei o futuro e não sei se mais tarde a minha escolha pode correr mal, mas sei que não me vou arrepender =)

De Marafadinha a 15 de Dezembro de 2009 às 08:21
Ora isto toca-me! Não na questão da inteligência, que felizmente consegui juntar o útil ao agradável, mas no deixar tudo por amor! Ai, Ai! E que história! E quantas e quantas vezes uma pessoa teme pela sua decisão! E quantas e quantas vezes uma pessoa tem dificuldade em entender que afinal é corajosa?!

PS. FOi um desabafo. Isto faz-te algum sentido?

De costela de adão a 16 de Dezembro de 2009 às 20:20
Escrevi inteligência, como podia ter escrito outra coisa qualquer (foi o mote dado pelo paciente do Gregory House). Pode ser um amor, um emprego, uma viagem pelo mundo, um trabalho de voluntariado...qualquer coisa que leve a pessoa a deixar o seu cantinho seguro e partir em direcção a algo. O teu desabafo faz todo o sentido, pois também tu passaste por isto. E acho que não estás, nem deves estar arrependida, pois mesmo não sendo Óptimo (que seria estares com o Ken mais a sul) é MUito Bom. E caso não soubesses, ficas a saber que és corajosa. Ah, pois és! Bjs

De cuidandodemim a 17 de Dezembro de 2009 às 13:54
Olá.
É preciso ter muita coragem, mas sobretudo é preciso achar que é o momento certo, ter a certeza que é o melhor a fazer, tanto para ti como para a(s) outra(s) pessoa(s), e também que é isso mesmo que queremos verdadeiramente. Não é uma decisão a tomar de ânimo leve, é preciso pensar bem. E é preciso ter coragem e deixar o medo para trás...
Bjns

De costela de adão a 17 de Dezembro de 2009 às 22:11
São sempre decisões que não se podem tomar levianamente. Acredito que as pessoas que as tomam, pensam bem e pesam os prós e os contras. e depois, cheias de coragem, mudam de vida. Bjk

Pesquisar neste blog
 
mais sobre mim
Dezembro 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
19

21
22
23
25
26

27
28
29
30
31


arquivos
links
A Passear no Paraíso