Observações sobre tudo e sobre coisa nenhuma
24.1.11

Somos dos países mais à frente no que toca à informatização e agilização de processos antes só possíveis com deslocações a diversas entidades do Estado. Somos o país que substituiu - e ainda substitui - 5 cartões por apenas 1. Facilita, é concentrado, ocupa menos espaço na carteira, enfim...tudo do bom e do melhor. O pior é quando há eleições; vá lá uma pessoa perceber, mas ao passo que os números de BI, Cartão de Utente, Contribuinte e Segurança Social permanecem sem alterações quando se adopta o CC, já o nº de eleitor (o único que não aparece visível no cartão) muda! Pensei que tal apenas tivesse sentido e acontecesse quando se muda de residência, agora quando não há alterações a registar porquê a mudança? E terão os serviços emissores dos CC alguma vez informado os utentes aquando do levantamento do seu documento deste pormenor? Ainda que não possa falar pelos outros, a mim sei que que não disseram nada e a confusão ontem criada aquando da intenção de votar nas várias freguesias do país, faz-me acreditar que a desinformação foi a mesma. Podem vir dizer que é falta de conhecimento e informação das pessoas, que se não acedem à Internet podem ir às Juntas de Freguesia. Pois, o problema é que nunca ninguém terá pensado que o seu número de eleitor já não fosse o mesmo. 

Se a abstenção consegue sempre uma percentagem jeitosa nas eleições, esta situação só contribuíu para a aumentar. Algo que a existência de um computador (com Internet acessível e servidor que o permitisse) nas mesas de votos resolveria, pemitindo informar localmente os cidadãos sobre o seu número de eleitor e sítio para votar. Não sería tão complicadex.

 

link do postPor costela de adão, às 19:54  para dizerem algo

Pesquisar neste blog
 
mais sobre mim
Janeiro 2011
D
S
T
Q
Q
S
S

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
14
15

16
17
21
22

23
25
27
28
29

30
31


arquivos
links
A Passear no Paraíso