Observações sobre tudo e sobre coisa nenhuma
26.2.09

...que já não tenho 20 anos??!  Porquê? Porque hoje tive uma ataqueta para alterar a disposição dos móveis de uma das divisões da casa. E assim o fiz. Arrasta sofá daqui, puxa móvel/estante de tv dali (com todos os dvd's, lcd, leitor de dvd e peças de decoração que tem - acho que explica o peso), limpa a sujidade que antes estava tapada e tarefa concluída com sucesso. O pior foi depois: a dor no músculo da perna, a ligeira impressão no final da coluna, enfim...já não tenho idade para estas coisas. Em casa dos meus pais ainda mudei all by myself  a cara a uma sala com uma estante bem mais pesada do que a minha e numa outra ocasião, o meu quarto. Não me lembro de sofrer mazelas na altura. Hoje, é o que se vê...e sente. Eu não preciso voltar a ter 20 anos, mas gostava de fazer estas "loucuras" e continuar rija que nem um pêro; mas hoje sinto-me mais como uma banana, e das moles.

  

                                                   

sinto-me:
link do postPor costela de adão, às 22:51  o que se disse (3) para dizerem algo

12.2.09

"Monk" é uma série que em tempos foi transmitida na TVI e actualmente passa no canal de cabo FX. Adrian Monk é um  detective que sofre de um distúrbio obsessivo compulsivo extremo. Entre outras coisas, tem rotinas muito certas, repete gestos, tem a mania das limpezas e fobias diversas. Acredito que todos temos, de certa forma, uma ou outra à Monk. Há algum tempo apercebi-me de uma minha da qual em tantos anos não tinha tomado consciência: começo sempre por calçar a meia esquerda ou vestir a perna esquerda das calças...já tentei começar pela direita mas tenho sempre a sensação de que qualquer coisa está mal e preciso começar pela esquerda. Quando me apercebi disto lembrei-me de quando em tempos dei uma ajuda num evento de moda. A minha tarefa e a de outras pessoas consistia em ajudar a vestir e a calçar uma modelo que nos estava atribuída (já agora devo dizer que a tarefa era fascinante - NOT). A rapariga que ajudei pedia sempre para lhe calçar primeiro o sapato esquerdo; na altura pensei "deve ser alguma superstição". Muitas vezes precisamos passar pelas coisas para as percebermos e agora, alguns anos passados desde esse evento, chego à conclusão de que a superstição da rapariga era, afinal, uma monkice. E que eu também as tenho!

 

link do postPor costela de adão, às 23:03  o que se disse (2) para dizerem algo

25.1.09

Apesar de Janeiro estar quase no fim, Feliz Ano Novo!!! A chegada de um novo ano é muitas vezes sinónimo de mudança, ou de vontade de mudar. O Ano Novo costuma trazer um monte de resoluções que abraçamos com entusiamo mas dificilmente passam da 1ª quinzena de Janeiro: fazer dieta ou pelo menos tentar fechar a boca a certas coisas que nos sabem tão bem e fazem tão mal; ir ao ginásio/piscina /outro do género com regularidade; ser mais paciente e generoso; dedicar algum tempo aos outros; aprender uma coisa nova, etc etc. E depois o entusiasmo passa, o ano novo passa a velho e vemos que não concretizámos nem um dos nossos projectos; e as resoluções passam para o ano seguinte. A ver pelo lado positivo, poupa ter que se pensar em qualquer coisa nova...

link do postPor costela de adão, às 17:22  para dizerem algo


Pesquisar neste blog
 
mais sobre mim
Junho 2012
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
14
15
16

17
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


arquivos
links
A Passear no Paraíso