Observações sobre tudo e sobre coisa nenhuma
15.3.12

Eu não quero correr o risco de parecer preconceituosa e colocar tudo no mesmo saco, mas reliogisidade e comunismo não são palavras que costume associar. Logo, não podia ter deixado de achar piada quando vi há pouco um deputado do PCP, dirigindo-se à Ministra do Ambiente numa "animada" conversa sobre a seca, referiu o antigo "fia-te na virgem e não corras". Desculpe, como disse?

 

tags:
link do postPor costela de adão, às 20:35  para dizerem algo

18.10.11

Vivemos tempos difíceis, as notícias não são boas. Todos os dias mais uma má notícia. O esforço para alguns é possível, para muitos um sacrifício difícil de suportar. Se soubessemos que este esforço no final vai valer a pena, apesar de tudo, não sendo tudo compreensível sería minimamente razoável. O problema é que não sabemos o que nos reserva o futuro, e vemos o pedido diário de esforços que as pessoas vão deixar de ter capacidade para fazer. E depois somos brindados com notícias que nos dizem que as pensões vitalícias dos ex-políticos não vão sofrer alterações. É no mínimo vergonhoso! Se quem ganha um pouco mais do que o ordenado mínimo já é considerado "apto"  para  não receber a totalidade do subsídio de Natal, se quem ganha acima de €1.000,00 é considerado rico, como se admite que estas reformas sejam intocáveis?!

 

 

sinto-me: apreensiva
link do postPor costela de adão, às 20:11  para dizerem algo

25.7.11

Independentemente da cor política, os políticos sofrem de um problema sério de falta de memória.

Neste momento, serão os do Partido Socialista os mais afectados por esta maleita.

Quem aterrasse em Portugal de pára-quedas e nada soubesse acerca da nossa história recente e ouvisse os deputados, novo secretário-geral e outros simpatizantes do PS falar do actual Governo e seu comportamento, só poderia achar que o partido não estava no poder vai para mais de 10 anos.

E afinal, só passou pouco mais de um mês.

 

Antes que me associem com quaisquer cores políticas, atentem na 1ª frase deste post.

link do postPor costela de adão, às 20:49  para dizerem algo

22.4.11

Já muito se escreveu e disse sobre a incoerência de Fernando Nobre. Para alguém que se dizia um não político aprendeu depressa o lema "na política, o que é verdade hoje, já não é amanhã". Vai no bom caminho.

 

Esta frase conheci-a aplicada ao futebol e foi proferida por Pimenta Machado, antigo presidente do Vitória de Guimarães. A sua adaptação à política faz todo o sentido e a este recente tiro no pé de Fernando Nobre, também.

 

link do postPor costela de adão, às 15:55  o que se disse (4) para dizerem algo

25.3.11

Na política, mais do que partidos interessam as pessoas e suas ideias. Talvez isso seja mais notório nas eleições para autárquicas, mas não deve ser deixado de parte quando o objecto governável é maior do que uma câmara, quando é um país. Independentemente do que este Governo tem desenvolvido - ou não! - ao longo de 6 anos, não vejo da parte dos opositores ideias para melhorar o que já anda mal há muito tempo. Tenho para mim que é mais fácil estar na oposição do que no Governo, independentemente da cor ou ala política.

E num momento em que as dificuldades são muitas, mais para uns do que para outros, é certo, o Governo demite-se.

JS não esteve bem ao apresentar o PEC 4 na Europa sem o fazer antes aos partidos com assento parlamentar, e já agora, aos portugueses que são quem paga a factura;

A Europa, principalmente a Alemanha, que anda em cima de nós e manda nisto tudo aceitou as medidas de austeridade propostas;

E o principal partido da oposição não aceitou as propostas e ameaçou o chumbo;

À ameaça de chumbo o Governo ameaça com demissão;

os outros partidos da oposição têm propostas para apresentar, mas o principal partido não (parece que criticar é mais fácil que ter ideias). Afinal depois também tinha algo para sugerir;

O PEC 4 foi chumbado e o Governo apresentou demissão;

E entretanto ficamos com um Governo de gestão, vamos para eleições, coisa que não custa nada aos cofres do Estado, e a Europa a olhar para nós; e o FMI à espreita;

E o líder do principal partido da oposição quer ser 1º Ministro; e se fôr eleito vai ter que negociar com a Europa e talvez fazer avançar as medidas do PEC 4 que chumbou há 2 dias.

E digam-me lá que isto não parece ser daqueles casos em que a ambição política falou mais alto do que o interesse nacional que tanto se apregoa por aí?!

 

Atenção que não estou a saír em defesa do Goveno de JS nem dos seus boys, nem de políticas com que não concordo (apesar de ser favorável a algumas decisões do foro social) nem dos milhares de institutos que não servem para coisa nenhuma que não seja um tacho para quem lá está, entre outras coisas. Estou apenas a prever o ridículo que pode ser para PPC se tiver de se baixar à vontade dos países fortes da UE e engolir aquilo que antes cuspiu. E o tempo e dinheiro que isso nos fez perder. Não será um bom começo...

Mas pode ser que eu esteja enganada, até porque de política pouco percebo.

 

 

sinto-me: duvidosa e desconfiada
link do postPor costela de adão, às 18:48  para dizerem algo

25.11.10

Ontem mais uma greve. Como em algumas coisas a tradição ainda é o que sempre foi, os números da adesão apresentados pelos sindicatos são grandes e símbolo de vitória esmagadora; já os do Governo, oh espanto, uma coisa menor de pouca importância, o país funcionou às mil maravilhas! Só se o facto de não ter parado por completo significa em linguagem governamental, pouca adesão. Talvez seja isso, mas eu dessa linguagem pouco percebo. Do que vi nos noticiários creio que a verdade está mais para o lado dos sindicatos. Nunca vi qualquer Governo confirmar uma grande adesão a greves, nunca vi assumirem que os números são elevados. Qual a necessidade de negar o óbvio?

 

link do postPor costela de adão, às 23:03  para dizerem algo

3.5.10

Quando eu fôr crescidinha, quero ir viver para o estrangeiro. Depois, quero candidatar-me a um lugar de deputada em Portugal por um partido português. E na altura de me inscrever para as listas dou como residência uma morada de um lugarito algures em Portugal. E consigo ganhar o meu lugar. Mas não me mudo para Portugal, porque eu resido no estrangeiro, que é mais fino e civilizado. E depois quero ir a casa ao fim de semana, que é no estrangeiro e é lá que está a minha vida, apesar de eu ter dado uma morada portuguesa para me poder sentar na Assembleia da República em Portugal. E por isso quero que me paguem as despesas de deslocação, como aliás está previsto acontecer com os deslocados. E o país está em crise, mas eu não prescindo que me paguem as viagens, nem admito ir em classe turística. E depois, depois (são 2 de propósito) de tanto rebuliço e bruáá que isto causou, quando finalmente se decidirem por me pagarem as viagens, eu abdico disso porque não quero que os outros partidos façam propostas de alteração à lei para impedir estes abusos no futuro, usando o meu caso como exemplo, porque não estou para ser arma da oposição. E pronto, será mais ou menos assim.

A esquerda das alcatifas é uma coisa tããão gira, sei lá!

 

 

sinto-me:
link do postPor costela de adão, às 21:19  o que se disse (2) para dizerem algo

15.3.10

Dizem por aí que a REN está a ponderar dar um bónus (de 250 mil euros!!!) ao senhor José Penedos pelos serviços prestados em 2009, que foi o ano em que veio a lume o caso Face Oculta.

Eu acho bem, pois gosto de saber para onde vão os meus descontos. Sim, sim...assim vamos lá.

 

Só para esclarecer, obviamente que não acho nada bem, esta gente anda a gozar connosco. E quando o circo pegar fogo quem o vai apagar somos nós.

 

sinto-me: ofendida
música: Qualquer uma de Rage Against the Machine
link do postPor costela de adão, às 20:15  o que se disse (5) para dizerem algo

26.10.09

 

Então o Jel e o Falêncio foram presos por estarem demasiado próximos da tomada de posse do novo Governo? Pelos vistos, nem o facto de terem gritado "Nós votámos Sócrates!" lhes valeu de muito...

 

                               

link do postPor costela de adão, às 20:04  o que se disse (10) para dizerem algo

11.10.09

...que acho incrível que um arguido, com um processo a correr em tribunal, não só se possa candidatar a uma câmara municipal, como ganhar por larga maioria?! Nas anteriores autárquicas foi um fartote de candidatos arguidos e em 2009 continuamos na mesma. A culpa é de quem vota. Tudo muito indignado com a corrupção, favorecimentos, falta de transparência, abuso de poder, e depois, quando se podem manifestar e mostrar o seu descontentamento, vão lá votar no mesmo. Lindo!

 

tags:
sinto-me:
link do postPor costela de adão, às 20:16  o que se disse (4) para dizerem algo

28.9.09

...mas não se preocupem: à meia-noite começa a campanha para as autárquicas!iupi!

 

link do postPor costela de adão, às 20:27  o que se disse (9) para dizerem algo

8.9.09

Acho que se o Sr. José Sócrates & Companhia soubessem o que tinham ali nunca teriam convidado esta pessoa para mandatária da juventude do PS. A já batida estória dos caroços que tanta tinta fez correr não chocaria tanto se a menina não estivesse a apoiar um partido de esquerda. É a chamada esquerda das alcatifas, caviar e afins. Outra pérola da pessoa foi "prefiro fazer batota a perder" o que em época de campanha eleitoral também só lhe fica bem. Ai se eles soubessem no que se estavam a meter...

 

 

 

 

sinto-me: enojada
música: Aguenta-te com Esta by Toy
link do postPor costela de adão, às 20:19  o que se disse (9) para dizerem algo


Pesquisar neste blog
 
mais sobre mim
Junho 2012
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
14
15
16

17
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


arquivos
links
A Passear no Paraíso