Observações sobre tudo e sobre coisa nenhuma
13.4.09

House, Perdidos, Prison Break, The Listener, Boston Legal, Anatomia de Grey, Clínica Privada, 24, Casos Arquivados, Betty Feia, Irmãos e Irmãs, O Mundo de Jim, Venha o que Vier, Seinfeld, Em Contacto, Family Guy, American Dad, Números, Monk, Tim em Nova Iorque, Dexter, Lipstick Jungle, O Amor no Alasca, Erva, Os Ricos, Sobrenatural, Californication, Donas de Casa Deseperadas, CSI, The Closer. E pronto, só assim, de repente, já são 30 séries. Já aqui escrevi um post sobre esta torrente de criatividade e imaginação que surgiu de há uns 6/7 anos a esta parte. Ficam 30 nomes para reforçar a ideia. Há para todos os gostos, impossível é vê-las todas.

 

 

link do postPor costela de adão, às 22:49  o que se disse (4) para dizerem algo

Os White Lies são uma banda nova. Só conheço uma música deles, chama-se "To Lose my Life". Os White Lies são uma banda nova mas esta música soa a antiga. Lembra -me a minha infância/princípio de adolescência. Lembra-me um pouco os Duran Duran e o som dos anos 80. Já dizia Lavoisier "nada se perde, tudo se transforma". A música não é excepção. Os White Lies são uma banda nova que me parece antiga. E isso não é necessariamente mau.

 

 

sinto-me: saudosista
música: To Lose my Life
link do postPor costela de adão, às 22:46  o que se disse (1) para dizerem algo

Gosto de ver programas sobre decorações e remodelações de casas. Gosto de ver as ideias e sugestões. Há alguns anos via um programa da BBC que não sei se ainda existe, "Changing Rooms". Tinha um conceito engraçado: 2 casais de vizinhos trocavam de casa e com a ajuda de um decorador trabalhavam na divisão que os outros pretendiam modificar.
No canal de cabo People and Arts existe o Extreme Makeover, em que uma equipa de designers e técnicos reconstrói a casa de uma família. Este programa tem uma vertente mais emotiva e social, visto que por regra, a família escolhida passou por alguma dificuldade, perda, ou são pessoas que com pouco, fazem muito pela sua comunidade. E depois temos a versão made in Portugal que é o "Querido, Mudei a Casa". E o programa não se compara aos anteriores. Não por ser melhor, nem sequer pior, mas por ser feito como se fosse mais do que um programa de televisão sobre remodelações. É feito, na maioria das vezes, por/para um bando de queques, tios e tias da capital com voz anasalada e muita pose. É do melhor é ver como as decoradoras, arquitecto e apresentadora querem mostrar muitas vezes que também trabalham e ajudam no projecto mas, meus amigos, com aquelas roupitas e bijuterias, ninguém acredita muito que sujem as mãos. Já no Extreme Makeover, além de vermos pessoas simples, sem manias, vemos pessoas trabalhadoras, que põem as mãos na massa e vestem-se a rigor para isso. No programa de ontem do "Querido..." vi pela primeira vez um pouco do espírito do Extreme Makeover: remodelaram todas as divisões de uma casa de campo muito degradada de uma família que sofreu a perda da filha. Além da casa, ainda criaram um jardim. O resultado final foi muito bonito. Só não acredito é que tenha sido desta que sujaram as mãos. Durante as gravações choveu muito e a decoradora, além de trazer um monte de colares ao pescoço, vestia umas calças brancas, que como se sabe, é a cor mais indicada para usar quando se faz obras em casa! Por favor, tirem-me deste filme, ou melhor, deste programa!!!
 
 
                                          
 
Pronto MC, já está aqui um novo post! :-) A gosma melhorou, mas o tempo piorou!
 
 
sinto-me: bocejante
música: Lost (Coldplay)
link do postPor costela de adão, às 22:04  o que se disse (3) para dizerem algo

Pesquisar neste blog
 
mais sobre mim
Abril 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
14
15
16
17
18

19
21
22
24
25

26
29
30


arquivos
links
subscrever feeds
blogs SAPO