Observações sobre tudo e sobre coisa nenhuma
9.7.09

Ainda sou do tempo em que a vinda de um artista estrangeiro ao nosso Portugal era assim coisa digna de destaque. Nesta então pasmaceira no que a concertos diz respeito, não aparecia ninguém, pelo que quando vinha cá alguém era coisa de se abrir a boca de espanto. Actualmente dou por mim a abrir a boca de espanto com a quantidade de festivais e concertos que enchem as agendas, alguns a decorrer em simultâneo, ou demasiado perto uns dos outros (em data e em local). Actualmente são muitos os músicos e bandas que passam pelo nosso país; há cerca de uma década atrás tornaram-se obrigatórios os festivais Super Bock, Super Rock, Paredes de Coura e o Sudoeste. Vilar de Mouros teve um regresso , mas curto. Mas hoje em dia são muitos mais. Independentemente da qualidade dos cartazes - eu se pudesse, ía a muitos, ó se ía!  - acho que se peca por excesso. É mesmo caso para dizer "não há fome que não dê em fartura".

 

música: Should i stay or should I go? (The Clash)
sinto-me:
link do postPor costela de adão, às 19:57  para dizerem algo

De Marafadinha a 10 de Julho de 2009 às 11:44
Querida amiga,

Eu só tenho uma reclamação. Por que raio é que as datas são durante a semana? Só o pessoal que estuda ou não trabalha é que tem direito? Hum??!!!


De costela de adão a 10 de Julho de 2009 às 20:12
Essa é outra! A maior parte das vezes é a meio da semana, o que para quem trabalha e não vive perto do acontecimento ou fica fora de questão, ou implica uma marcação de férias, seguida de despesas extra em viagens e alojamento.

Pesquisar neste blog
 
mais sobre mim
Julho 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
14
15
16
18

19
20
21
23
24
25

26
27
28
29
30
31


arquivos
links
blogs SAPO