Observações sobre tudo e sobre coisa nenhuma
10.3.09

No passado dia 8 de Março assinalou-se mais um Dia Internacional da Mulher. Devo confessar que tenho com esta data uma espécie de amor/ódio. Por um lado compreendo a importância de se comemorar a data em nome de tantas mulheres que sofreram, lutaram e morreram para que muitas de nós tenhamos hoje coisas que damos como garantidas e que elas não tiveram. A essas lutadoras, o meu reconhecimento e o meu muito obrigada. Por outro lado, lamento que ainda seja preciso assinalar a data, para lembrar que ainda há tanto a fazer (a mutilação genital é uma das barbaridades que não consigo sequer tentar compreender) e que o século xxi ainda não chegou a muitos sítios do planeta. Outro senão, é a forma como a data é comemorada, em que grupos de fémeas parecem saídas de uma gaiola (talvez daí muitas pareçam autênticas galinhas) e têm comportamentos, na minha opinião, ridículos e as figuras tristes são mais que muitas. Dia da Mulher é dia de loucura, de avacalhar...Pois, para mim Dia da Mulher,e tantos outros, deviam ser como o Natal - quando um homem, e principalmente, quando uma mulher quer. Ou seja, todos os dias.

música: Man, I Feel Like a Woman
link do postPor costela de adão, às 19:04  o que se disse (1) para dizerem algo


Pesquisar neste blog
 
mais sobre mim
Junho 2012
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
14
15
16

17
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


arquivos
links
blogs SAPO